Kit Outubro/2020

Kit Outubro/2020

Postado em:
Blog - Kit do mês
- 04/10/2020 16:35:54

Vamos aos queijos do mês! Uma viagem de sul à norte do país!
 
Trouxemos novamente um representante da Canto Queijaria, que tem uma seleção incrível de queijos. O escolhido da vez foi o novíssimo Madrugueiro. Paulo e Mari já rodaram bastante por aí antes de se dedicarem aos queijos. Moraram em cidades grandes e até no exterior. Aí veio a tal “crise existencial”. Paulo explica: “Juntos começamos a questionar muitas coisas e repensar quase tudo sobre a nossa vida pessoal e profissional. Foi então que decidimos passar um período sabático em Nova Iorque. E foi lá, numa das cidades mais cosmopolitas do mundo, que estalou em mim a importância do campo, do alimento, da origem da nossa comida”.Resolveram retornar às origens da família do Paulo, em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. Eles já tinham história com a lida das vacas e do leite. A consequência dessa mudança foi a fundação da Canto Queijaria em 2019 com propostas bem autênticas.
Também resolvemos explorar outros sabores da queijaria Bolderini, em Pindamonhangaba: trouxemos o Pinda! Os Bolderini também são daquelas famílias que resolveram retornar às origens. Em maio de 2018, Felipe Bolderini e sua esposa Talita, 5ª geração da família no sítio, deixaram para trás suas carreiras na área industrial e iniciaram uma pequena produção artesanal de queijos, resgatando a tradição e, ao mesmo tempo, inovando em suas receitas. Seus queijos tem bastante originalidade e por isso sempre estão conosco. 
Um dos representantes mineiros do mês é o Dona Seba, da queijaria Nonna Rosa, de Lavras. Guilherme é descendente de italianos e morou um tempo na Itália. Depois que voltou para o sítio da família, resolveu acompanhar a produção de queijos frescos da avó. Foi produzindo e  aprendendo com a Nonna, até que assumiu a queijaria quando a avó precisou parar. Começou a deixar os queijos maturarem mais, foi estudando e trocando com queijeiros mais experientes até que resolveu inscrever seu queijo em dois concursos no ano passado. Resultado: medalhas! A partir daí a produção de queijos frescos foi substituída por diversas variações de maturados.
O outro mineiro da lista é o Juá. Produzido pela 5ª geração da família Costa, na fazenda frutuoso Limoeiro, na cidade de Alvorada de Minas. Da clássica microrregião queijeira do Serro, a receita deste queijo foi trazida para o Brasil no século XVIII por portugueses que vieram da região da Ilha dos açores. Em Minas, a técnica foi adaptada e o queijo da microrregião do Serro, mais úmido e ácido, ganhou seu próprio terroir
Subindo no mapa, chegamos à Paraíba. De lá, vem o Arupiara, da Fazenda Carnaúba. O trabalho com os queijos de cabra teve início com Manoel Dantas Vilar Filho, primo de Ariano Suassuna, em 1979. Mas a história começa antes, por volta de 1972, quando os primos resolveram dedicar-se às cabras nativas do sertão nordestino. De lá pra cá, muita luta e aperfeiçoamento. Resultado: queijos com identidade, cultura e sabor peculiares!

MADRUGUEIRO (RS)– Queijo de leite cru de vaca. Maturação média de 70 dias. Massa cozida. Casca firme, massa semi cremosa com pequenas olhaduras. Sabor suave de fundo doce.
PINDA (SP) – Queijo de leite de vaca. Maturação média de 60 dias. Casca coberta com fina camada de mofos naturais e lavado na cachaça. Massa cremosa e sabor suave com leve picância.
DONA SEBA (MG) – Queijo de leite cru de vaca. Maturação média de 40 dias. Casca lavada com pimenta do reino e azeite italiano. Massa semi-cremosa com adição de iogurte natural.
JUÁ (MG) – Queijo de leite cru de vaca, maturação média de 50 dias. Sabor intenso com notas de cogumelos frescos pela presença do mofo, leve picância e acidez características do terroir do Serro. Casca rústica tomada por mofos naturais e miolo semi-macio. 
ARUPIARA (PB)– Fazenda Carnaúba, cidade de Taperoá. Queijo de leite cru de cabras nativas do sertão nordestino. Maturação média de 40 dias. Sem casca, massa compacta. Sabor suave, mas com presença típica dos toques do leite de cabra.
 
Manter na geladeira (parte menos fria), envolto em filme plástico ou papel manteiga. Retirar da geladeira e da embalagem ao menos uma hora antes de degustar. Para manter a umidade, também é possível armazenar em potes plásticos. Importante abrir o pote a cada 2 dias para circulação do ar.

Esperamos que curtam a seleção. Boa degustação!

Categorias

Fique informado!

+ Posts

Kit Setembro/2020
Kit Setembro/2020
Kit Agosto/2020
Kit Agosto/2020
Kit Julho/2020
Kit Julho/2020
Kit Junho/2020
Kit Junho/2020
Kit Maio/2020
Kit Maio/2020

Receba novidades por email

E-mail cadastrado com sucesso.